Destaques

THE CATEGORY IS... | MELHORES SÉRIES DE 2019

Por Bárbara Herdy •
segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

Hey, Mates! Tudo bem com vocês?



Eu não assisti tantas séries nesse ano, como eu esperava/planejava.
Acabou que me dediquei a terminar algumas pendências e acompanhar aquelas séries que estavam me prendendo, e não me agarrar mais em séries que eu comecei e não queria deixar para escanteio, mesmo com seus defeitos. Tempo é dinheiro e nós não tem nenhum dos dois aqui, meus caros. Com isso, eu escolhi três séries imperdíveis desse último ano e uma menção honrosa. Vamos lá?


PRODIGAL SON
Série policial tem aos baldes na televisão americana, o que nos prende as tramas é o diferencial e Prodigal Son trás um que, se bem trabalhado pode se tornar uma série de destaque no gênero. Malcolm ajuda a polícia de Nova York a solucionar crimes por saber como os criminosos pensam, pois seu pai é um dos piores serial killers do país. Interpretado por Michael Sheen, a relação entre Malcolm e seu pai é o que dá gás a trama e leva o público questionar a sanidade e as escolhas do protagonistas. Além da trama central, os personagens secundários trazem tramas paralelas interessantes que entrelaçam a moral do protagonista e o seu passado.

Tom Payne exagera nos maneirismos e Michael Sheen ainda busca o tom do seu serial "pai de família" killer, mas é tudo de encontrar a dosagem certa com uma boa direção em mãos. 




A DIVISÃO
Série exclusiva da GLOBOPLAY, A Divisão trás um elenco estrelar em uma trama bem construída de roteiro intricado e personagens cheios de conflitos e morais duvidosas. Além de ter só cinco episódios, tornando a série atraente para uma maratona, o enredo é fluído e te prende nas trama principal, o sequestro da filha de um importante político e as tramas paralelas envolvendo políticos, segurança pública e corrupção. Um diferencial é a série se passar nos Anos 90 mostrando uma realidade não tão distante da atual.

Silvio Guindane e Erom Cordeiro estão geniais em seus papeis e deixam o público com vontade de acompanhar os seus futuros em uma nova temporada.



                         

SOB PRESSÃO

Terceira temporada de Sob Pressão é a melhor da série, até o momento. Com o grupo se separando em trabalhos distintos por todo o Rio de Janeiro, acompanhamos seus caminhos se reencontrando em um novo hospital cheios de problemas que se mesclam aos conflitos dos seus personagens. Essa temporada é da Marjorie Estiano que brilha com a Carolina em cenas que vão de arrancar nossas lágrimas até a tristeza profunda; suas perdas são nossas e ao longo da jornada, o telespectador vai da proteção ao desejo de ser alguém para cuidar dela nos momentos difíceis. O Emmy não deu o prêmio a ela de melhor atriz em série internacional, mas o Brasil te dá, miga. Julio Andrade humaniza Evandro e retorna para a série mostrando que ele vai além dos seus limites como ator e ele casa com seu personagem, dá novas camadas a ele e é um dos elementos que dá liga ao elenco que casa muito bem na trama. Pablo Sanábio para mim é uma revelação que, nessa temporada, trás um Charles com certos empecilhos e ganha o carisma do público.


MENÇÃO HONROSA:

                       

RUSSIAN DOLL

Eu sinto que Russian Doll foi esquecida no churrasco. Mesmo com suas indicações em premiações de melhor série e atriz de comédia para a Natasha, a série não ganhou o destaque pela NETFLIX e nem pelo público que ela merecia.

A série tinha tudo para ser uma farofa: mulher morre mil vezes e vive mil vezes o mesmo dia e tenta entender o que diabos está rolando. E o que a torna uma feijoadinha deliciosa são os pormenores: a busca de um significado na vida além do imposto pela sociedade, os relacionamentos sem expressão, os traumas de infância que se carrega para o futuro sem se dar conta de seu peso, ansiedade e depressão como fantasmas da nossa geração e atemporalidade. Com um roteiro ácido, atemporal e hilário, Russian Doll vai além de uma série deliciosa de assistir: dá um banho em muitas séries de comédia, te surpreende e te leva a pensar sobre a vida como ela foi e é. Ressalva para as atuações da Natasha Lyonne e Charlie Barnett que vão além da entrega e apresentam personagens carismáticos e extremamente humanos.



E aí, quais foram as suas séries favoritas desse ano? Deixa aqui nos meus comentários, quero saber a sua opinião.


Um beijão da Bárbara Herdy ♥

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

© Hey, Mates! – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in