Destaques

Aleatoriedades e um café, por favor | Renascimento

Por Bárbara Herdy •
domingo, 23 de dezembro de 2018

LEIA ouvindo "Head Above Water", de Avril Lavigne.

Eu acredito que todos vivemos uma aventuras e todas elas são grandiosas, assustadoras, fantásticas, apaixonantes, perigosas e desafiadoras.

Para muitos o natal é um checkpoint do ano, como em um jogo de videogame, onde você alcança um pedestal e todo o progresso do jogo é salvo até aquele ponto. O que acontece dali em diante está ligado com as suas escolhas. No natal nos encontramos conosco, com nossa família, nossos amigos, com nossa casa, nossas crenças, nosso futuro. Nos deparamos com tudo que vivemos e almejamos para o próximo ano. Se o ano novo é sobre recomeçar e colocar em prática tudo aquilo que não conseguimos realizar no último ano, o natal é sobre se encontrar: sozinho, com sua família, seu amor, seus amigos, seu Deus. É sobre celebrar as nossas conquistas, as nossas perdas, nossos desejos. É sobre ter orgulho de quem você era antes daquele dia, de quem você é e de quem você se tornará com as experiências que você viveu e que se transformarão em novas conquistas no ano que se aproxima.

O natal é o meu feriado favorito. Não só pelo seu significado religioso e espiritual, o nascimento de Jesus, mas por esse sentimento de reencontro com a sua essência, como também essa sensação de recomeço se aproximando de nossas vidas, muito similar ao cheiro de canela no ar sobre as nossas rabanadas.

Esse ano não foi um dos mais queridos. Foi um ano difícil de resoluções, transformações e cicatrizes. Ele não será lembrado como um ano de doçuras, mas de um ano que deixou um gosto amargo em nossa boca e um fogo crescente em nossos corações.

Por minha experiência, eu me perdi de mim a um tempo e me encontrei nesse ano, mais exatamente no pior mês da minha vida, maio. Por mais difícil e tortuoso que esse ano tenha sido para mim, todas as minhas escolhas me trouxeram até aquele momento que seria transformador. Aquela história de que existe dois caminhos é real. Eu podia entrar pela porta a ou b. Nas duas eu seguiria por um caminho de provação, transformação e descoberta, mas um deles não me traria para onde eu estou hoje.

Eu não sei dizer se esse é o lugar que eu deveria estar sob uma ótica divina. Eu acredito que todas as nossas escolhas nos levam para onde nós devemos estar e que isso de certa maneira não é arbitrário. Certo ou errado se perde quando a decisão é feita por nós. Em meu coração, eu me sinto bem, tão bem que não me lembro quando foi a última vez que eu me senti assim, bem com minha consciência, com meu caráter, com minhas escolhas, meu futuro. Eu sinto que evolui e tenho muitas aventuras para trilhar e eu só preciso me dar essa oportunidade e dar o primeiro passo. Me sentindo assim, como eu posso estar no caminho errado?

Quando eu digo que perder algo nos dá uma perspectiva de crescimento, eu vejo de um ponto de vista de crescimento. Muitas das vezes, precisamos perder algo para descobrir o quanto aquilo era importante, como uma caixinha de bijuteria que, até então, estava lotada de bugigangas, mas quando quebrou você se lembrou que foi um presente de uma amiga que você não vê a anos. Perder não nos torna menores, nos torna gigantes, pois só perdendo nós temos a oportunidade de renascer, como uma fênix.

Eu torço para que nesse natal, você avalie com carinho e gentileza a sua transformação e evolução. Olhe para si com gentileza. Comemore as vitórias e tenha orgulho das barras pesadas que você viveu e das suas conquistas após cada um desses obstáculos. Eu peço para que olhe para o próximo com amor. Seja caridoso. Amanhã é um novo dia, mas o hoje só dura algumas horas. Torne elas especiais. Não deixe de dizer o quanto alguém é importante para você, mesmo se for uma amizade afastada ou danificada por um mal entendido. Não deixe de abraçar, mesmo que o calor te faça querer ficar longe de qualquer ser humano na terra. Não deixe de amar. O natal é mais do que presentes e comidas típicas, é o feriado onde desaceleramos de nossas vidas e nos encontramos com nossa alma, nossos entes, conosco. Brindemos ao nosso renascimento.

Um Feliz Natal para você, sua família e amigos.

Um beijão da Bárbara Herdy.

  

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade

iunique studio criativo

Instagram

© Hey, Mates! – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in