Ms Series Killer #28 |1x04 - AKA 99 Friends - Marvel's Jessica Jones

I got 99 problems and you'll be another one.

Um novo caso exige a atenção de Jessica enquanto ela tenta descobrir quem está espionando ela a mando do Homem-Púrpura. Além disso, o programa de rádio de Trish traz conseqüências inesperadas.

No seu normal, Jessica é desconfiada, imagine sabendo que existe uma (ou uma dezena) de pessoas tirando fotos suas em seu cotidiano? Isso é o bastante para pirar a nossa heroína. Além disso, ela precisa lidar com a sobrevivência impossível de Kilgrave e proteger Luke e Trish dos riscos de estarem ligados a ela, quando Jessica nem desconfia que vive em risco a muito mais tempo.

Estava estranhando a falta de um caso isolado para Jones. Ela precisa trabalhar certo? O excesso de foco em Jones e em sua busca por Kilgrave não chega a ser uma falha, mas tem lá a sua saturação. Nós ainda temos nove episódios pela frente, onde ele pode não apenas ser melhor desenvolvido, como todas essas buscas de Jones. E quanto a quem ela é e o que ela faz, isso não pode ser abordado apenas no fim da série. Esse é o papel de AKA 99 Friends, nos mostrar camadas psicológicas de Jessica e sua capacidade profissional sob pressão.

EU NUNCA GOSTEI DESSA CASA MESMO!
                             
A sua nova cliente, diferente do último, é uma irritante perua buscando por provas de traição do seu marido, o que irá lhe ajudar no processo de separação. Um pouco confusa e suspeita, Jessica não está muito confiante quanto ao discurso da perua, mesmo com ela sendo cliente da firma de Hogarth, isso não dá muito animo para ela aceitar seu caso, mas devido a sua persuasão e seu temor de estar sendo paranoica, ela acaba por aceitar, mas não fica em paz. Jessica conversa com Hogarth buscando informações sobre a tal perua, mas ela apenas confirma ela ser uma cliente, nada mais de importante lhe é dito, então lá vai Jess fazer, é claro, treta.

Entre as suas zilhões de preocupações, como pensar em deferir um soco em todas as câmeras as quais surgem em seu caminho e preocupada com Trish, ela segue a perua para garantir que ela não está sendo Kilgravezada e acaba descobrindo bem mais do que esperava. Na realidade, eu não esperava nada disso como conclusão desse plot. Honestamente, foi uma conclusão incrível, extremamente conectado com a filosofia por trás de 'Guerra Civil' e é aqui que é marcado o momento cronológico da série: Pós Avengers e bem provavelmente, pós Daredevil, mas isso ainda não ficou claro.

Adivinha quem veio para jantar?
                         
Jessica destruindo toda uma casa, enquanto expõe fatores de sua vida é uma das melhores e mais importantes da personagem, até agora. Paralelamente, Trish tenta consertar o seu erro impulsivo com Kilgrave, pedindo perdão pelas suas palavras grosseiras e enaltecendo o seu ego. Isso confortou o vilão que agora acredita tê-la em sua mão. Outro buscando por redenção por seus atos incontroláveis é o policial Simpson. Ele busca ajuda de Jessica em aconselhamento, mas ela não é muito boa nisso. Acaba que Simpson busca o perdão de Trish e o que surge dali não era esperado pelos personagens, nem por mim. Por mais previsível que seja, gostei muito do desenvolvimento desse relacionamento entre Simpson e Walker e confesso estar shippando esse provável casal, graças a química entre os atores e a minha simpatia com a loirinha.

Sem Luke Cage, outros personagens ganham espaço, como Trish, Will e Hogarth, quem busca desesperadamente conseguir algo podre sobre a ex para ganhar no processo de separação para então dar o ponta pé inicial em seu novo relacionamento com sua jovem secretária. A advogada busca a ajuda de Jones nisso, mas a nossa protagonista não está tendo muito sucesso, ainda mais com sua cabeça cheia de intrigas e conspirações rodeando a sua vida. Assim que ela descobre quem é o fotografo contratado por Kilgrave, Jessica fica desolada e novamente, perdida.

Eu não sou o rato dessa história.                           
Seguindo por um caminho oposto e menos interessante aos seus últimos três episódios, Jessica Jones descobre não estar presa numa caça de gato e rato, e sim num jogo mental e psicológico, onde Kilgrave a manipula perfeitamente em seus propósitos, aos quais ela se quer desconfia o que seja. Se antes o seu proposito era capturá-lo, dopá-lo e levá-lo preso, agora é descobrir o que ele realmente quer dela, além de manipulá-la e enlouquece-la.

Nenhum comentário:

Bárbara Herdy 2008 - 2014. Tecnologia do Blogger.