Ms Series Killer #23 | 2x01 • It Is Not, nor It Cannot Come to Good - The Royals (Series Premiere)

I see a little bitch over there.

The Royals ou o retorno daqueles que nunca foram. Por que? The Royals estreou em meados de Março e devido ao seu sucesso enorme foi renovada imediatamente a uma Segunda Temporada completa ainda nesse ano. Lembro que fiquei admirada com a rápida renovação, a série era boa, mas a esse ponto? Hmmm, a Season Finale me provou que não. The Royals tem tudo que uma série contemporânea precisa para brilhar: um bom elenco, um enredo interessante, um cenário incrível, uma produção impecável, mas peca em coisas as quais deveriam ser excelência, como roteiro. The Royals é um guilty pleasure dos bons, pois mesmo quando erra, consegue distrair o seu telespectador e distraí-lo, o que deve ser um dos principais propósitos numa série.  

Se você não conhece a série, leia esse meu post com um resumo sobre a série e a sua estréia pelo canal americano E! http://www.segredosentreamigas.com.br/2015/03/na-telinha-25-royals.html 

Em It Is Not, nor It Cannot Come to Good tivemos um pouquinho de tudo: um pouquinho de respostas, um pouquinho de tretas, um pouquinho de vingança e um pouquinho de promessas e a Season Premiere conseguiu ser bem maisoumenos como a Season Finale da sua temporada antecessora.
Pareço legal, mas eu quero me vingar.
                       
Começamos o episódio com uma agitada e competitiva partida de Polo, onde Liam joga. A Rainha Helena, o Rei Cyrus e a princesa Len assistem a partida. Com pequenos flashbacks temos um vislumbre dos últimos tempos na pele dos nossos personagens. Helena posa como a viúva perfeita, Cyrus tenta comprar o amor de seus súditos e Len continua sendo a bitch a qual todos adoram. Desregrada e perdida, Len não encontra dificuldades em se jogar em festas, drogas e sexo casual, claramente em busca de sentir alguma coisa, além da dor do luto. Enquanto isso, Liam Thorne (Oi?) busca vingança pela morte de seu pai, como também descobrir os mistérios cercando a si e sua família. É. No meio desse tempo, um rápido interesse amoroso lhe surge, nada muito explorado, pois o fantasma Ophelia lhe persegue. Deus ouviu minhas preces e a Ophelia, a chuchu foi para Nova York e não tem atendido as ligações de Liam, nem de seu pai. Estranho? Atípico? Preocupante? Caguei. Não gosto da Ophelia, para mim ela era um dos atrasos da série e honestamente, se ela sumir ou tornar-se um mistério para a história, acabando por aparecer eventualmente morta eu vou ficar beeeem feliz. 

Falando em fantasma... Ted não está passando pelos seus melhores momentos sem ter a filha por perto. Eu, como velha amiguinha de Mark Schwahn saquei logo de cara o que estava acontecendo entre Ted e a mulher misteriosa, e de novo me vi cagando e andando para aquela cena sem um motivo aparente para existir agora. Entretanto, e se isso for um indicio para o futuro de Ophelia? Nunca se esqueça: The Royals é baseado na história de Hamlet e no livro Falling for Hamlet de Michelle Ryan. O destino de Ophelia pode estar definido e nem se quer nos damos conta disso.
JasperGrey is back!
Jasper voltou. E é isso aí. Depois de uma temporada inteira sendo o Senhor Grey a.k.a Boy Toy de Len, obcecado em protegê-la e controlá-la, ele retornou com o mesmo proposito. Querendo proteger a sua 'amada' dela mesma, seguindo ela por todos os continentes e interessado em retomar sua posição de guarda. Além disso, descobrimos nesse inicio de temporada que Jasper e Liam não apenas se tornaram amiguinhos, como firmaram uma aliança para descobrir os podres por trás de sua família, e é claro proteger a indefesa (#SQN) Len. Ela também tomou uma postura interessante. Cyrus propõe algo aos sobrinhos e Liam é imediatamente contra, por conta de seu orgulho, mas Len surpreende ao aceitar a proposta e mostrar ao irmão que tem os seus próprios planos. Se isso foi uma boa? Não sei, eu teria gostado se tivesse seguido por outro caminho. 

                        

                               
O retorno de The Royals seguiu a estabilidade dos seus episódios anteriores: Cyrus cresce como um antagonista canastrão, buscando o respeito de seus súditos e humilhar quem ele acha estar abaixo de si, Len ainda é a melhor personagem da série, mesmo cada vez mais perdida por sua máscara e Helena é uma rainha fria buscando trilhar um caminho solo por trás das costas de Cyrus, o que claramente vai dar em treta. Nos acertos, tivemos o crescimento considerável de Liam, mostrando que sem um interesse romântico ele é, curiosamente interessante, o retorno de uma ótimo personagem pode esquentar a vida de Len e nada de Ophelia é bem acalentador. Sem grandes respostas e dando continuidade ao que foi deixado em aberto na Season Finale, as maiores surpresas guardadas para os últimos segundos do episódio (Adivinha quem is BACK? Definitivamente uma das coisas que mais amei nesse episódio). The Royals se estabiliza como um ótimo guilty pleasure, mas isso não quer dizer que não deixa um gosto acido na boca de que a série poderia ser muito melhor, com um pouquinho mais de dedicação, mas algumas coisas não são para ser...

Nenhum comentário:

Bárbara Herdy 2008 - 2014. Tecnologia do Blogger.