Ms Series Killer #20 | The Walking Dead (Season 05) • 5x02 - Strangers


Não confie em ninguém.


Com um dos melhores retornos da história da série (frisando: até hoje) 'The Walking Dead' massacrou com o episódio dessa semana chamado de 'Strangers'. Se você pensa que a série não tem forças para te deixar em posição fetal, agarrado em seu urso de pelúcia chamando baixinho pela sua mãe enganou-se mortalmente. Eu estou assim até agora, né mãe? (É, FILHA!)
Sem um abrigo, mantimentos e apenas um caminho a seguir, Rick lidera o grupo para seguirem para o mais longe possível de Terminus e buscam pelo básico para sobreviverem, mas no caminho encontram o Padre Gabriel, o que no inicio parecia um encontro com um inocente sobrevivente, acaba mostrando-se ser um bifurcação que pode levar Rick e seu grupo para a salvação ou o purgatório. 
Quando vi a preview de 'Strangers', eu pensei com os meus botões: Bom, vai ser um episódio de envolvimento, um pouco mais tranquilo que o Season Premiere, vão deixar o público a par do que está se passando com o grupo, apresentar alguma proposta mirabolante para sacudir o grupo e terminar com algum cliffhanger básico para nos enlouquecer no próximo episódio. 
Estão escutando essa gargalhada? É o falecido Governador rindo da minha doce e jovial inocência.
Pobre Barbara!

Se 'Strangers' fosse a Season Premiere não estaria muito longe de ser considerado um dos melhores episódios de 'The Walking Dead', pois como o seu antecessor tivemos um pouco de tudo que torna um roteiro completo: desenvolvimento de personagens, enredo principal, secundário e até, terciário bem desenvolvidos, cliffhanger, ação e a medida perfeita de MUITO desespero emocional da parte dos fãs viciados a.k.a EU!


Não tenho paciência para quem está começando. TODO, Elenco de The Walking Dead


Rick, o andarilho decide que o grupo precisa aderir a sua prática diária e muito apreciada, assim, o grupo parte pelas matas nada densas e infinitas de alguma cidadezinha perdida no meio dos Estados Unidos. O plano é: FICAR O MAIS LONGE POSSÍVEL DO TERMINUS. Qualquer barulho e todas as armas são erguidas, se bobear, até a Judith se arma com sua mamadeira. Com um 'Nós nos rendemos' Daryl consegue acalmar o clima tenso do grupo, demarcando bem o estado de nervos de cada integrante. Gostei muito do começo. Tivemos um angulo de apresentação diferente. Uma trilha sonora suave, dividido em blocos, cada personagem tem um momento para expor como está se sentindo com os últimos acontecimentos e com o futuro. Foi nessa cena que me dei conta da quantidade absurda de novos personagens que teremos nesse principio de temporada. Com o caminhar do episódio cheguei a conclusão que quero que continue assim, pois mais personagens, significa mais história e mais histórias pode significar bons segmentos de ação, romance e novas possibilidades. Quero frisar que de todos os focos a pequena cena entre Rick e a garota de xadrez que deve pegar o Glenn em algum momento (e um dia aprendo seu nome). Estava com saudades de ver Rick sendo um amigo, e não um líder preocupado com o bem estar dos demais, mas sim, preocupado com o bem estar de cada um. A garota de xadrez percebeu nesse episódio que faz parte da família agora e que Rick não é um governador, mas um alguém a quem espelhar e respeitar. 

Seguindo com as tretas, Rick e os andarilhos estão com fome, medo e em busca desesperada por um abrigo, acabam encontrando um perigo chamado ZOMBIES. De primeira, Carl bota o seu lado animado para salvar vidas a postos, mas Rick não. Ele trava, pondera, só num segundo chamado, ele vai, guiando os outros companheiros para depararem se com um pequeno grupo de zumbis cercado um padre em cima de uma pedra. Ressalva para todos pegando suas armas e Michone pegando sua katana invisível, o risinho que ela dá foi ótimo. Ficou tão natural que até esqueci que ela estava fazendo aquilo para matar um zumbi. Até aí, tudo bem. Um cara apavorado com zumbis o cercado é uma cena tensa por si só, mas a cena a seguir consegue ser três vezes mais tensa e assustadora quando Rick se coloca numa posição de interrogador e o padre de suspeito interrogado. Não condeno Rick. No lugar dele eu também não confiaria em mais ninguém que aparecesse na minha frente (na realidade, não confio em nenhum personagem novo nessa série até duas temporadas completas), mas a razão imposta nele não tirou a dureza da cena. Ele não se importou com o medo nos olhos de Gabriel. Ele não se lembrou que já esteve naquela posição antes. Ele estava desconfiado com medo pelos seus filhos e colegas. Por causa de um, eles perderam muitos, será que vale a pena passar por isso de novo? O retorno das três perguntas para decidir se aquele individuo deve entrar no grupo foi interessante. Eu vi isso como uma tentativa de Rick de não fechar os olhos depois das péssimas experiências, mas concordo com ele: Os humanos são piores do que os zumbis. 

Não, é sério agora, Carl. Não confia em ninguém. 

Gabriel fala sobre sua Igreja, onde ele se encontra, lugar que pode servir de abrigo para os homens e mulheres que salvaram sua vida a mando de Deus. Com o desconfiômetro no pico, Rick aceitou, mas levou Gabe praticamente acorrentado para os guiar até tal lugar. Você pensa que o Ex-Veterinário (Se acha que não conheço seu passado, Dr Deaton? #BeaconHillsmissu) abaixou a cabeça e tentou provar sua santidade? Não, beeem o contrário disso. Ele jogou com Rick e os andarilhos. Disfarçando, ele culpou sua falta de humor, mas não colou. Eu senti uma pontada de manipulação em suas palavras e eu não gostei nadinha disso. Meu sétimo sentido berrou: CORRE, RICK, CORRE QUE É UMA CILADA! PEGA AS CRIANÇAS E CORRE! Mas, Rick Grimes me ouviu? Não minha gente, não ouviu. E lá foi os palhaços para a Igreja. Revistaram o lugar de cima a baixo, não encontraram nada nem ninguém para incriminar o padre. Ok, Carol e Michonne acharam alguns desenhos e textos no minimo estranhos. Mais tarde, Carl encontrou isso e mostrou ao pai. Rick não quis levantar nenhum questionamento (ainda), mas não mostrou ignorar. Não tem como você ignorar esse tipo de mensagem! A missão do dia foi buscar suprimentos em uma região próxima. De acordo com o padre a comida havia acabado, ele havia buscado em várias regiões, mas aquela ele não ia, pois havia uma duzia de Walkers por lá e ele não era um rambo da vida para lidar com eles. Dá para notar bem isso com o modo apavorado que ele age ao ficar poucos metros de distância das criaturas! Eu amei isso, é um ponto pouco visto na série, já que a maioria sempre age feito durão e acostumado com aquilo, vê alguém que surta vendo um zumbi ou passando mal vendo alguém morrer é o mais próxima do antigo mundo que jamais voltará a existir.   



Rick, novamente, coloca Gabriel na correia e o obriga a ir com o grupo em busca dos tais suprimentos. Antes, ele conversa com Carl, pergunta a ele o porque de confiar no padre e eu sempre fico sensibilizada com esses momentos entre os dois, pois Lori nunca deu essa voz a Carl. Ela sempre o via como o menininho que tinha que brincar num canto e saber o menos possível. Rick integra o filho a realidade. Ele não quer que ele cresça alheio ao mundo, mas que cresça parte dele. Com o caminhar das temporadas, Carl de garoto impulsivo e ingenuo está se transformando num dos personagens mais forte e importantes da série, sendo a base primordial de Rick nos momentos de cegueira emocional. A travessia do grupo é tranquila até a região que Gabe indica. Chegando lá, eles descobrem que o padre não estava mentindo nem sobre a comida, muito menos sobre os zumbis. Foi uma cena boa de ação explorando um ambiente pouco utilizado (a água) com uma quantidade razoável de zumbis e algumas desvantagens evidentes para o grupo. O espaço pequeno, a água, poucas armas e um padre gritando desesperado não são elementos que combinam entre si. Eu esperava por isso, porque né, corpos caem, a água turva, você não consegue ver o que está abaixo de si, só quando, de repente, NHAC! Bob foi tragado para debaixo da água. Poucos segundos de desespero e ele retorna, bem, tranquilo, como se nada tivesse acontecido. AHMEUAMOR, isso não existe nessa série!

Você não sabe o que quer também, né, Senhora dos Isqueiros?

Tivemos uma previa do clipe da música 'Dia de comemorar' do Seu Jorge. Chuck Norris do Comando em Ação fez um belo discurso, que se tivesse sido sincero teria sido comovente, sua única intenção com aquelas doces palavras era conseguir arrastar todo mundo para Washington, sua única preocupação desde o principio do episódio. Cá entre nós, ainda fui com a cara do ruivo. Se fosse outro, teria feito tudo nas coxas, falando em sussurros com os coleguinhas e se mandado antes que o Rick pensasse em dançar a coreografia da sua vida da música 'Do The Locomotion'. O ruivão mostrou que, mesmo por trás dos seus interesses, ele tinha uma singela preocupação com aquele grupo que acolheu e protegeu o seu. Se há alguém nesse caos todo que ele deve querer se agregar, é a Rick e os andarilhos. Com promessa de abrigo, comida e uma vida, Rick aceitou a proposta. Sejamos sinceros: Pior não podia ficar. Vocês ouviram isso? Sim, é o governador rindo agora da inocência do Rick. 

Carol mostrou, mais uma vez por quê não a suporto: sua instabilidade. Uma hora ela é a mulher mais poderosa, fodástica e incrível do planeta. Outro momento ela é uma covardona que está fugindo de encarar os próprios erros. Ela iria partir, sem deixar vestígios. O motivo? Um mistério. Penso eu, que pelo olhar desolado que ela deferiu ao feliz grupo confraternizando, ela não se sente mais parte daquele universo. Compreensível? Não acho. Ela já passou por momentos piores e, se reergueu, por que, agora ela não conseguiria? De qualquer forma, o episódio encarregou de mantê-la no grupo quando Daryl (lindo, maravilhoso, chewbacca mais gato da tia ruiva) identifica o carro que sequestrou a Beth (para quem não se lembra, a Taylor Swift do universo Walker) e decidi seguí-lo SEM AVISAR A NINGUÉM. Porque, é claro, é a coisa certa a fazer. Pelo menos, ele foi com a Carol. Espero eu que tenha uma bazuca naquele carro.


Papai, você conhece ele? Nome dele é Hannibal. Ele disse para colocar sálvia na carne e não é que funfo super bem? Papai saca das culinárias exóticas. 

Agora vamos falar sobre o final do episódio.
QUE FINAL FOI ESSE? Não, eu não sei como dissertar sobre esse final, só assistindo para compreender o que passei nos últimos minutos de 'Strangers'. Bob não parece em seus melhores momentos. Fica subentendido que ele foi mordido e por saber o que irá acontecer, ele ia se matar, por isso a sua despedida singela. A reviravolta é ele ser capturado nas sombras, sem deixar rastros.
A cena a seguir, para mim, é uma mistura de angustia, nojo e pavor que misturado se torna em uma sensação sufocante e aterrorizante. Para mim, Bob foi um dos melhores personagens que entraram nessa última leva, ou seja, fiquei emocionalmente abalada por encontrá-lo naquela situação, amarrado e preso nas garras de Gareth. Não pesquisei ainda sobre o ator que interpreta Gareth, mas preciso dizer: ele está de parabéns! O rapaz consegue passar a imagem de um vilão que, na sua mente, se vê como um herói. Para ele, sua ação é sobrevivência. O interprete de Bob também não está muito longe. Ele é um homem simples, extrovertido e dono de um bom coração, carismático, consegue envolver o telespectador a simpatizar e se importar com ele, pelo ator e o seu Bob acredito que essa cena tenha sido tão impactante como teria sido se o Rick ou Daryl estivesse ali. Quando a tela abre e mostra que Bob é bem mais que um refém e sim, uma presa, eu fiquei apavorada. Essa cena foi de uma frieza que eu nunca vi em 'The Walking Dead.' Eu fiquei - e estou - sem palavras. (Olha que eu assisto Hannibal, tá?) É, você entendeu, né?

Não sei de mais nada, sabe? O futuro incerto de Bob, o provável enredo esperadíssimo da carne contaminada, estou apavorada com a presença do Padre Gabriel, por que Bom esse homem não é, a Taylor Swift chata vai voltar e já tô frustrada e pelo preview, o episódio vai ser alucinante, o que é bom, mas também ruim, porquê não sei se vou ter Lexotan suficiente para sustentar a minha pressão. Sabe o que acho? Vai ser massacrante! Se eu estiver errada, eu vou ficar feliz pela primeira vez na história das minhas suposições. 

Então, é isso pessoal! Até a próxima, cuidado com os walkers, se virem uma flecha, peguem pro Daryl que ele vai precisar xx 
  

Nenhum comentário:

Bárbara Herdy 2008 - 2014. Tecnologia do Blogger.