Ms Series Killer #11 | Doctor Who (Season 08) • 8x06 - The Caretaker

A placa é auto explicativa, tá?

Sem discussões 'Times Heist' foi um ótimo episódio. Para mim, até então, o melhor da temporada. Sua perspectiva despretensiosa com o futuro da série o coloca em uma posição superestimada para um episódio com a mera importância de apenas completar uma ponta a outra de episódios importante. Para mim, 'The Caretaker' que, tinha um importante papel nessa temporada, não alcança seu antecessor, mas também, não faz feio.

Quando uma ameaça misteriosa coloca em risco a sobrevivência dos alunos, funcionários e moradores dos arredores do Coal Hill School, o Doctor se disfarça como John Smith e por conta própria decide investigar esse caso. Não sendo apenas a pressão de ter o Doctor perambulando pelo seu local de trabalho, Clara precisa lidar com um terror pior que qualquer alien tentando destruir seu mundo: Doctor e Danny Pink finalmente se conhecendo.

O episódio começa com uma sequência de cenas que mostra o espírito do episódio: Clara tendo que se dividir entre Doctor e Danny Pink. Eu adorei a proposta da cena, não só ficou cômico, mas pela primeira vez mostrou os efeitos de ser um companion. Sair de um lugar ensolarado e voltar mais bronzeado ou retornar praticamente ensopado com direito a alguinha no cabelo e ter que dar uma boa explicação para o seu amigo leigo que não envolva uma viagem temporal e o principal:  mostrou bem como Clara estava tentando sobreviver entre o mundo aventureiro do Doctor e o mundo real com Danny.

Esse aqui é amigo desse, ouviu, Doctor?

Clarita fica sem chão quando Doctor revela que tem uma missão ultra - master - secreta e não precisa da ajuda nela. Para quem estava vivendo uma vida dupla, ela fica bem decepcionada de ficar fora dessa, mas isso é bem vindo, pois ela pode ter mais tempo em sua vida cotidiana com Pink e seus alunos. É divertido ver o dia-a-dia em um Colégio britânico, os alunos mostrando serem espertinhos, percebendo as tretas amorosas entre Pink e Oswin, como também, vemos a vida de professora de Inglês de Clara e os seus outros colegas de trabalho. Deixa eu falar: Eu estou chatiadissíma por não terem dado uma menção honrosa ao Ian. Poxa gente, ele estava ali! Era só o Doctor comentar algo sobre conhecer aquele lugar, algumas pessoas dali ou só olhar o Ian diferente. Não é pela referência, mas o valor da antiga história, sem dizer que ia ser tão bonito <3

Doctor simplesmente brota no Coal Hill School para desespero de Clairta com a identidade de John Smith como substituto do antigo - e dopado - Caretaker (um tipo de faz tudo que, no Brasil, seria o nosso famoso zelador) do colégio. Na primeira oportunidade, Clara exige saber o que diabos Capaldão está fazendo na sua área, por dois simples motivos: isso não deve ser bom e ISSO NÃO É NADA BOM. Sua preocupação é com a segurança de todos, pois se Doctor está ali, algum perigo está a espreita. Misterioso, por nenhum motivo aparente, ele dá voltas em Clarita, ele não a quer nesse trabalho, tentando afastá-la com um esfregão - muito eficaz. só que não. - ele acaba conseguindo levar Clara a respeitar o seu pedido, mas isso não quer dizer que Oswin fica longe do caso.

Dai por diante vemos Doctor buscar solucionar o mistério por trás da estranha criatura que assombra Coal Hill School, interagindo com vários colegas de Clara e até mesmo, uma curiosa aluna.
Enquanto isso, Clara tenta manter Doctor o mais afastado possível de Pink temendo esse encontro como uma filha que teme que o pai descubra que seu coração está apaixonado.

Time-timey-timing and disappearing.

Eu fui enganada. Esperava que Doctor soubesse de tudo e tivesse guardado em sua manga esse segredo, como uma forma de manipular Clara sentimentalmente, mas ao que tudo indica, ele não tinha a menor ideia da existência de Pink, muito menos com sua relação no episódio 'Listen'. Ele fica tão surpreso quando descobre que Clara o está namorando e, não a cópia do Matt Smith, que uma discussão é pouco. Do momento que é revelado quem Pink é na vida de Clara, Doctor imediatamente ganha uma postura ciumenta e ranzinza. Ele não gosta de Pink e tem razão. Danny não é muito carismático. Não é uma questão de química, pois a dupla encontra-se ótima, muito bem conectada, mas é uma questão de construção de personagem e história.

Uma incerteza chamada Futuro

Faz pouco tempo que tivemos uma companion com seu par romântico viajando pela Tardis (#SddsPonds), não é que tenha se tornado desgastado, mas fica parecendo falta de criatividade e batido quando uma mesma ideia é plantada em uma série com tão pouco tempo para ter seu próprio brilho. O que mais tenho visto são os fãs comparando Pink e Oswin com Rory e Amy. Isso não é bom para os atuais companheiros de Doctor que ficam estigmatizados e não ganham seu próprio espaço. E por outro lado temos a construção de personagem. Danny é legal, mas não é um dos melhores personagens do Universo Whoviano. Não é interessante, nem carismático. Ele funciona com Clara, mas sozinho, tenho minhas dúvidas. Esse episódio deixou isso bem claro: como um dupla, Oswin e Pink são ótimos, mas Pink separado pode não ser tão interessante. Nos primórdios de Doctor Who tivemos um personagem tão problemático quanto Pink: Mickey. Como eu odiva o MICKEY! Ele era chato, irritante, lerdo e inútil. Em todas as suas aparições nas duas primeiras temporadas eu só queria que um raio caísse em sua cabeça! Ele não funcionava com sua suposta namorada, Rose, muito menos com Doctor e os outros personagens. Ele era um peso morto, mesmo com o seu ator sendo competente. Então, veio a quarta temporada e ele conectou-se super bem (vale ressaltar: com outra personagem detestada por mim) com Martha. É tudo questão de ter química, uma boa história para seu personagem e timing.

O 'Alien of The Week' não foi nem empolgante, assustador e muito menos criativo. Depois do ótimo Teller, o novato Skovox Blitzer  precisa de muito arroz, feijão e farinha para conseguir me impressionar com o seu desejo maligno e super original de destruir a humanidade. 
Só para ter uma ideia o Skovox era uma mistura de uma aranha robótica com um Ciberman.
Ciberder (Ciberman com Spider) teria sido um nome legal para ele. Enfim, gastaram todos os recursos no Teller, sobrando só alguns restos de metal do Ciberman para fazer esse alien novo.

Doctor resolveu esse caso tão rapidamente que, no final, até tinha me esquecido que aquele episódio tinha tido um mal a ser detido. Isso não foi nada legal para o roteiro que se focou demais em uma coisa, quando o foco deveria ser outro. Chega de dar foco na vida pessoal de Clara Oswin, quando o foco deve ser no seu relacionamento com Doctor, suas aventuras e aí sua vida com Pink. O excesso torna-se desnecessário em pouco tempo. Doses homeopáticas não só é um meio cuidadoso, como também deixa o público mais interessado no que aquele personagem pode vir a apresentar. Lembrem-se: mistério atraí a atenção, quem diz muito, pouco acaba a ter a dizer e, eu acho, que é isso que está acabando por acontecer com o Pink.

No final das contas Doctor precisou do inesperado auxílio de Pink que, mostrou, ser mais esperto que o Doctor esperava e mais aberto a pertencer ao mundo de Clara. Isso é um fato: por mais que Oswin ame (amor rápido esse, mas whatever!) Pink, a história dela com Doctor está ligada por milênios e diversas quebras temporais que, ainda não causaram uma grande treta, mas eu sinto que irá causar e é bem provável que ela seja a causadora da futura saída de Clara.

Menções honrosas: A terra prometida ganhou um novo morador. Dó dele! Descobrimos que é um lugar que não apenas transformasse em qualquer ambiente como tem outro 'funcionário'. O mais importante dessa breve cena é a cara de chupou limão e logo depois comi pimenta da Missy. O que diabos aconteceu para ela estar daquele jeito? Existem algumas hipóteses rolando pela internet, mas não irei dar a minha opinião sobre o que acho que deve ser, entretanto mediante ao final do episódio, antes da sua cena, suponho que tenha algo relacionado com Pink e Clara. Por fim, ressalto Courtney Woods. Personagem chatinha, sem graça e bem da forçada, mas achei interessante a proposta de mostrar uma criança viajando na Tardis. Percebo que estão jogando possibilidades de futuros aliados e companions no Universo Whoviano e a opinião pública pode vir acabar afetando os rumos do futuro de Doctor Who. Outro ponto é: para uma série considerada infantil, é de estranhar que até hoje não tenha tido uma criança como companion. Fica a dica, tio Moffatt: o que acha de uma criança as companion? Menos a Woods, é claro. Achei interessante, diferente para o clima da série, seria uma renovação sair dessa escala de jovens mulheres e apresentaria algo bem diferente e inesperado só para variar. Aproveita Mofatt, anota aí que QUEREMOS SIM UMA FEMALE DOCTOR, TÁ? Tá.

Só tem olhos! Você só é olhos, Clara!

Para mim esse episódio rodou, rodou e rodou muito e mostrou pouco.
Para um filler seria até aceitável, se eu estivesse de bom humor, mas como episódio com um enredo importante para a continuidade da série, achei fraco e desinteressante. Até o momento, o episódio mais chatinho da temporada. O grande foco foi no casal Owsnk, nas escolhas de Clara como companion e namorada, Pink saber ou não de toda a verdade e, mais uma vez, reforçando o rabugento e ranzinza Doctor querendo ter o seu próprio espaço em seu mundo, longe dos humanos, quando no fundo, como ele mesmo disse: Nunca aprende a lidar com Humanos, mas também, não pode viver sem eles parece estar seguindo uma corrente de repetições de enredos já trabalhados nos outros episódios. Foi um episódio ruim? Não, foi bom, mas podia ter sido muito melhor que 'Time Heist' e 'Listen' ainda os melhores episódios dessa temporada.

Fico por aqui!
Semana que vem teremos mais 'Doctor Who'!

Um avisinho, mates:
Se tudo der certo, todas às quartas feiras teremos resenha de 'Doctor Who'. Repetindo: Todas às quartas feiras! Caso não seja postado na quarta feira, será em outro dia aleatório e, será, totalmente por culpa do meu cotidiano movimentado.
Ficamos combinados assim: É certo ser todas as quartas feiras, mas caso não aconteça, DON'T FREAK OUT! Nós teremos uma resenha em algum outro dia!
Não os deixarei órfãos, okidoki? Ótimo!
Até a próxima resenha e Bang Bang, mates <3

Nenhum comentário:

Bárbara Herdy 2008 - 2014. Tecnologia do Blogger.