Ms Series Killer #2 | Chicago PD • 1º Temporada (2014)

Título: Chicago P.D
Ano: 2014
Temporada: 1º 
Gênero: Policial
Duração: 42 minutos.
Episódios: 15
Status: Renovada para 2º Temporada | 2014
Emissora: NBC
Emissora Brasileira: Universal Channel - Toda terça feira, às 23 hrs.
Direção: Mark Tinker, Sanford Bookstaver, Karen Gaviola, etc.
Roteirista: Dick Wolf
Elenco: Jason Beghe, Jon Seda, Sophia Bush, Jesse Lee Soffer, Patrick John Flueger, Archie Kao, Elias Koteas, e muito mais.
SinopseDo produtor Dick Wolf e do time de Chicago Fire, este spin-off acompanha os homens e mulheres do Distrito 21 da polícia de Chicago, que se colocam na linha de fogo para proteger a comunidade. A delegacia é composta por dois grupos: os guardas uniformizados, que patrulham as ruas da cidade; e a unidade de inteligência, responsável por combater os grandes crimes — organizado, tráfico de drogas, assassinatos importantes.


Não ferra a minha cidade - e nem a minha família.
'Chicago P.D' chegou ao meu conhecimento por dois caminhos. O primeiro através da atriz Sophia Bush, acompanho o seu trabalho desde 2003, como Jensen Ackles, que acompanho seu trabalho desde 2001, sigo Bush em todas as suas empreitadas, e não deixaria essa série de lado, ainda mais depois de sua tentativa fracada no gênero da comédia na finada 'Partners' (2012). O segundo caminho foi através de 'Chicago Fire' (2012) série do produtor Dick Wolf. Vi alguns comentários sobre um spin off derivado da série dos bombeiros de Chicago, eu fiquei curiosa, sempre apreciei o trabalho de crossover e a tentativa de emancipação de um personagem e/ou um grupo 
Chicago PD, seguindo o padrão 'Chicago Fire', a série policial vem com um time de personagens, um ou outro não é explorado ao seu máximo como personagem solo, acabando por figurar como secundário, mas isso não afeta ao andamento do enredo, como seguidor da série, você acaba por esquecer da existência daquele personagem e/ou se questionar se em algum momento ele terá um papel mais importante que só o de funcionário auxiliando no enredo daquele episódio.
O protagonista é o Sargento Hank Voight (Jason Beghe), para quem não sabe, ele é um dos vilões de 'Chicago Fire' que colocou Matthew Casey (Jesse Spencer) em maus lençóis por boa parte da 1º temporada. Visto como um policial sujo e temido por todos os marrentinhos de Chicago, Voight ganha uma segunda chance na polícia, agora de liderar o Departamento de inteligência da Delegacia de Chicago com a sua equipe que figura Antonio Dawson (irmão da Gabriela, também de 'Chicago Fire'), Erin Lindsay, Jay Halstead, Adam Ruzek, Alvin Olinsky e Sheldon Jin. Na delegacia, temos os policiais Kin Burgess, Kevin Atwater e a Sargento Trudy Platt, normalmente eles apresentam o alívio cômico dos episódios e mostram o outro lado da polícia, os dos trabalhos cotidianos, como também do crescimento profissional, já que Burgess e Atwater desejam conquistar uma vaga no Departamento de Inteligencia.
A única regra que Voight recebe do Capitão Hammond é ao conquistar o seu novo posto: Não ir para o lado mal da força. O que é bem difícil para o Sr. Voight ao longo das temporadas, contudo, adianto que ele encontra um meio de utilizar os seus contatos, sem precisar se debandar para o lado negro da força, mesmo que esteja muito tentado a isso.
Os enredos fluem entre grandes casos envolvendo sequestros, prostitutas, colocar agentes disfarçados em lugares perigosos até casos envolvendo gangues e venda de drogas. Um diferencial da série é que episódio ou outro aparece alguém de 'Chicago Fire' ou 'Law & Order', puxando um assunto para um futuro crossover ou até mesmo, concluindo algum assunto tratado em um crossover passado. Isso é primordial sobre essa série: ela está conectada a outras, logo, sempre há um plot que pode surgir em uma dessas séries envolvendo algum dos personagens de 'Chicago PD', então fique de olho. Pode ser apenas 5 minutos de cena, mas pode ser importante para o caminhar de algum enredo. 

Acho importante comentar que o episódio piloto pode ser confuso, muitos personagens, sua maioria desconhecido ao público, um enredo que encontramos em movimento e precisamos acompanhar a corrida para não ficar para atrás. Os 20 minutos iniciais podem ser tediosos e levemente confusos, mas garanto que é temporário, principalmente com a chegada dos minutos finais em que um personagem importante é morto inesperadamente, o que afeta totalmente o grupo de Voight, principalmente Antonio e temos o sequestro do familiar de um outro personagem, o que serve de cliffhanger para o próximo episódio. 
Os próximos 05 episódios são dedicados a apresentar exclusivamente os personagens, suas parcerias no trabalho, relacionamentos amorosos - os que existem fora e dentro do trabalho -, das amizades e familiares. Isso é algo muito explorado nas produções de Dick Wolf, ele gosta de trabalhar com um tema central, exemplo, casos policiais, entretanto, o verdadeiro foco são as relações humanas. E é por isso que ele é um dos melhores produtores de seriados americanos. É isso que o público quer assistir: Vida humana entrelaçada ao cotidiano. Sempre tentando mostrar um tema por episódio que mexe com um dos personagens principais, assim podendo apresentar uma nova camada de sua personalidade, ressaltando histórias de suas vivências e principalmente, a sua moralidade. 
No 1x09 - A Material Witness temos a chegada de um novo personagem, que é claro, cai de paraquedas em Chicago para destruir o controle e soberanidade de Voight. É o Capitão Edwin Stillwell. Ele mexe suas cartinhas e coloca a Detetive Sumners, no lugar vago na Inteligência, sua intenção é ter seus olhos ali, a trabalhar e seguir os passos de Voight, mas é claro, há muito por trás das atitudes de Edwin que como uma pantera está sempre à espreita, apenas aguardando para dar o bote. Adianto que ele tem um papel interessante nessa temporada, sempre encontrado nessa berlinda entre o bem e o mal, Edwin pode ser uma peça importantíssima na próxima temporada. 
Confesso, que no geral, é uma série que tem muito a crescer, mas entrega o que promete: uma boa distração investigativa com um elenco bom e roteiro envolvente.
Tem episódios que algumas pontas ficam soltas, por exemplo, o plot envolvendo Jay e o assassino de seu irmão, para mim, esse tema podia ter sido bem melhor explorado, mas não houve nenhum caso de ponta solta que atrapalhou o entendimento ou te faça reconsiderar se deve dar uma chance ao próximo episódio e desgostar da série, mas são coisas que ao concluir a temporada você se questiona: Hmm, aquilo poderia ter sido melhor explorado/explicado. Como a Season finale. Como o Piloto, a Season Finale ficou muito distante do que se esperava, do que podia ser e do que deveria ser. A série teve ótimos cliffhangers, em pelo menos, uns três episódios, quando chegou na Season finale, eles simplesmente fecharam todas as pontas, o que está correto, mas não deixaram nada de extraordinário a se considerar para a próxima temporada e concluíram assim sua primeira temporada. Lacraram bonito, mas pecaram na falta de incentivo. Não é uma obrigação todas as séries terminarem com um cliffhangers, mas é importante (interessante) terminar com um assunto em aberto para prender o interesse do público, se não, a série caí no esquecimento na mente do espectador, que tem outras 15 séries para acompanhar, logo, não tendo muitos motivos para dar importância àqueles personagens e suas buscas pessoais. 
 
Eu gostei muito da série, os personagens são envolventes, um elenco forte e competente, como uma temática que é deliciosa de assistir, mas essa questão de roteiro/continuidade/temas devem ser melhores desenvolvidos na próxima temporada ou talvez, eu acabe enchendo o saco e congelando a série até que ela melhore - saudações 'The Vampire Diaries' e 'Grey's Anatomy', minhas eternas congeladas.
Melhor episódio: Errr ...
Valeu cada segundo do meu belo dia, Sr. Voight: 1x01 • 1x02 • 1x03 • 1x04 • 1x05 • 1x07 • 1x10 • 1x12 
#NotAmused (Poker Platt Face): 1x06 • 1x08 • 1x09 • 1x11 • 1x13 • 1x14 • 1x15 (Season Finale)
Podia ter dormido sem essa, né, Sr.Voight?: Eba! Estrelinha brilhante para "Chicago P.D".

Nenhum comentário:

Bárbara Herdy 2008 - 2014. Tecnologia do Blogger.