Escritores com Benefícios #2 | 'Saindo da Frigideira para o Fogo'*: Como é o Processo de Construção de Ideias?


O Tema dessa Semana é: Construção de Ideias.

Primeiro ponto essencial para qualquer autor é saber que Toda idéia é valida.
Eu, e definitivamente você que está lendo esse post – e fez o seu dever de casa como autor – sabe que muitas pessoas - ouso dizer, que elas tem um cérebro atrofiado para ideias, possibilidades e caráter - acreditam que existem gêneros de livros para tipos de autores, logo, existem determinadas idéias que devem ser engavetadas, pois:

a. Não existe publico para elas;

b. O autor não é conhecido o suficiente para trabalhar com essa idéia em um mercado tão competitivo;

c. Sua idéia já foi tão usada por outros autores que seu livro só será mais um em uma pilha/estante/prateleira;
d. Que existem determinadas histórias que não devem ser mais escritas, pois passaram de sua época. 



Leu alguma das opções acima? Ignorou as, certo? Que bom, mate.
É um bando de babaquice de pessoas que se dizem experts na área do mercado literário, mas na realidade, não sabem de absolutamente de nada. Sabe quem entende do mercado literário? Quem senta em frente do computador/caderno/máquina de escrever e vive para aqueles universos que criam, primeiro para si, e depois, para o publico.


Como construir uma idéia?
Não vamos esquecer que o trabalho de um escritor é solitário, insano e difícil.
Quem diz que é fácil ser escritor, não está fazendo certo, eu garanto. É fácil sentar, escrever e fazer acontecer, é difícil pesquisar, compreender, tornar real para si – e para os outros. A construção de idéia é essencial para o desenvolvimento de QUALQUER história. Seja um conto, crônica, poema ou romance.
Não é fácil.
Normalmente você precisa de um método.
Alguns começam com pesquisas, outros pensando nos enredos, alguns começam pelas cenas que surgiram em sua mente e vão criando o que imaginaram com descrições e diálogos, só então constroem o enredo ou então, iniciam desenvolvendo a construção da ficha dos personagens, além do mais, uma história é feita de personagens, depois de enredo.

A construção de uma idéia basicamente é quando você une o  O que, o onde, o quem, o por que, o como e o fim num bloco só, ou seja, num texto. A partir disso é que a história irá ganhar a forma para termos um inicio, meio e fim, ou seja, ser um romance completo.
Por onde você pode começar? Como chego à história? São 03 tópicos que separados são fundamentais, mas juntos, são massivamente essências, pois irão lhe levar a história:

1. Enredo

2. Planos de História

3. Personagens

Como unir tudo isso? Comece por cada etapa. É mais sadio, organizado e vai te levar a uma conclusão satisfatório. Comece pelo que lhe trouxer mais segurança.
Vou dar um exemplo:

Comece pelo enredo
– onde sua idéia surgiu. A partir da sua idéia pense qual é a história que você quer contar através dela. Vampiros Vitorianos seqüestraram a família da protagonista, pois eles tem um desejo que envolve uma dinastia e a cidade de Bath, na Inglaterra? Essa foi à primeira idéia que surgiu em sua mente. Ok, temos um enredo base.
Quais são os planos de história?
Qual é o plano principal?
A protagonista precisa eliminar esses vampiros antes que eles matem sua família.
Qual é o plano secundário? Para chegar na sua família, ela terá que se infiltrar no grupo, assim virando uma vampira.
Qual é o plano terciário?
Ela se apaixona pelo, até então, vilão da história, um vampiro.
Quais são os personagens? A protagonista, seu par romântico, sua família de 04 membros, três vilões, um companheiro de aventura e alguns aliados. Dê nomes, idades, local de nascimento e estrutura para suas biografias, apenas o básico para você saber quem é quem e os apresentar em suas primeiras cenas.

Terminou isso? Dê uma boa olhada. Está faltando algum detalhe? Sim? Anote. Não? Ótimo. Você acabou de construir a base de sua idéia. Você pegou aquela massa de idéias, confusas, geniais, animadoras e incríveis, e as transformou em possibilidade. Sentiu o poder? Sensacional, mate.

Como faço para construir um enredo, com os planos e personagens?
Depende da história.
Aconselho começar do começo () sempre. Logo que a idéia surgir, escreva um rascunho de toda a idéia para a sua história. Pode ser uma sinopse, tópicos ou um texto corrido. O que importa é você colocar no papel o que você viu em sua mente.
Um modelo básico para desenvolver um texto sobre sua idéia?
Eu costumo pensar nessas perguntas sempre quando tenho uma idéia para um novo livro. Elas são essenciais para chegar no movimento do universo que crio. Se alguma fica em branco, deixo em aberto, pois o futuro pode me mostrar, mas a idéia, é mesmo sem ter certeza, ir respondendo a tudo e desenvolvendo o enredo a partir do que você vê agora, pois o que você verá daqui há dois meses DEFINITIVAMENTE será beeem diferente do que você vê hoje, mas você precisa de uma base para isso e irá criá-la agora.

  • Onde a história inicia, se passa, em que momento?
  • Quais são os principais personagens?
  • Como eles surgem na história?
  • Quais são os personagens secundários?
  • Onde eles surgem?
  • O que irá unir todos eles no enredo principal?
  • Quem está envolvido?
  • E o enredo secundário?
  • Quem está envolvido? 
  • Como será solucionado?
  • Como ele leva ao enredo principal? 
  • Quais são as cenas que pensei? 
  • Em que momento ocorrem: inicio, meio ou fim e com quem? 
  • Quem morre, quem vivi? 
  • Se houver uma continuação, para onde vai levará esses personagens? 
  • Não haverá continuação, como a história terminará?  


Aqui, nesse momento, não precisa ligar A com B. AGORA pode haver buracos de enredos. Agora pode ficar faltando algo naquele personagem ou plot, pois você está desenvolvendo, e não está com tudo pronto a sua frente. Um livro é como um filho, precisa de tempo para crescer, desenvolver e aprender para depois se sentir pronto e deixar as asas de proteção da mão. Todos os livros precisam de uma base para saber por qual estrada irá percorrer. Tendo essa estrada, as bifurcações aparecerão naturalmente. Bifurcações essas que serão novas idéias, enredos e plots. Então, por mais que você seja perfeccionista, como eu, tenha paciência, pequeno Jedi. Agora é o único momento que você pode ligar A com G, M com O e tudo ficará bem. O que importa é você expor no papel suas idéias, destacar aquilo que você considerou mais importante e criar o seu mundo a partir do que você viu. Como disse: Pode ser numa sinopse, texto corrido ou tópicos, o que importa é você escrever. Ligue A com B APENAS quando for começar a escrever. Esse não é o momento de pirar tentando criar conexões entre personagens, tirando nós e buracos de enredo e desenvolver um mega cliffhanger. Esse é o momento de ICD: Imaginar, Criar e Desenvolver.
Foco na base, depois disso, você tem todo o direito de pensar em tapar os buracos e remendar o que falta,  mas como disse, tudo em seu tempo.




*'Out of the frying-pan into the fire' é o título original do capítulo VI do livro 'The Hobbit'.

  Creio que esse é um título muito pertinente para o tema abordado nesse post. 





Nenhum comentário:

Bárbara Herdy 2008 - 2014. Tecnologia do Blogger.